sábado, janeiro 30, 2010

Governo Federal assume compromissos com clubes sociais negros do Brasil

 

Por Lisandro Paim - jornalista MTE 12878

Governo Federal assume compromissos com clubes sociais negros do Brasil

Em Minas Gerais, ministro Edson Santos confirmou apoio para reestrututração física das entidades e registro de memória durante Encontro Nacional de Clubes.  RS  possui  53  entidades

O II Encontro Nacional de Clubes Sociais Negros, realizado entre os dias 29 e 31/01, na cidade de Sabará-MG, reúne diversas autoridades, pesquisadores e dirigentes de cerca de cem clubes e sociedades negras de cinco estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Santa Catarina Rio de Janeiro e São Paulo). Na abertura do evento, na noite desta sexta-feira (29/01) no Teatro Municipal de Sabará, o ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Edson Santos, assegurou recursos para a recuperação física destas entidades culturais e históricas e para o desenvolvimento do projeto de registro de memória e história, que levará ao registro como patrimônio imaterial e cultural brasileiro.

“É preciso resgatar esta dívida que o Estado tem com os clubes sociais negros que hoje vivem grandes dificuldades, mas são um importante instrumento de resistência contra a segregação e o preconceito, promovendo a auto-estima da comunidade afrobrasileira”, afirmou o ministro. Acrescentou que o governo federal estará viabilizando recursos para garantir a sustentabilidade destas entidades, possibilitando que se tornem pólos de empreendedorismo negro, além de buscar alternativas para a realização de um mapeamento, pesquisa e registro das entidades.

O evento em Sabará também serve para analisar as atividades realizadas desde 2006, quando ocorreu o primeiro encontro em Santa Maria (RS). Em 2008, a SEPPIR viabilizou oficinas com os representantes dos clubes sociais. A intenção foi fomentar a articulação entre os grupos e formar uma rede de parceiros. O projeto de capacitação de gestores é resultante de uma dessas oficinas, assim como pedido de registro dos clubes sociais negros, em 2009, como patrimônio cultural imaterial no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), fruto de discussões na Comissão Nacional dos Clubes Sociais Negros.

Presenças

Participaram também da abertura oficial o prefeito de Sabará, William Borges, o deputado estadual Vander Borges (MG), a presidente do Clube Mundo Velho-MG, Maria de Lourdes Santos, a secretária de Educação de Belo Horizonte, Macaé Evaristo, o presidente da Câmara de Vereadores de Sabará, José Antônio de Lima, a diretora de Captação de Recursos de Santa Maria-RS, Valcenira Galsern, a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Kelly Social, e o professor doutor da Universidade Estadual da Zona Oeste-RJ, Amauri Mendes Pereira. Estiveram presentes os membros da Comissão Nacional de Clubes Sociais Negros de quatro estados: Giane Vargas Escobar (RS), Luis Alberto da Silva (RS), Kelly Oliveira (SP), Kelly Cardozo (MG), Armando Farias (SC).


Clubes Negros

Os clubes sociais negros são espaços associativos de convívio social do grupo étnico afro-brasileiro. Voluntariamente constituídos, têm caráter beneficente, recreativo e cultural, e desenvolvem atividades em espaços físicos próprios. Com base nesse conceito, até o momento foram identificados cem clubes negros em cinco estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Os primeiros clubes surgiram no fim do século 19 – logo depois da abolição da escravatura –, época em que os negros eram freqüentemente barrados em lugares de lazer da sociedade da época. A partir da rejeição, esses grupos começaram a construir os próprios espaços de socialização. Era uma forma de resistência ao sistema escravagista ainda vigente. Os antigos clubes também surgiram com o objetivo de angariar fundos para o pagamento da liberdade dos escravizados. Os espaços, mantidos pelos próprios associados, contam a história dos negros brasileiros por meio de documentos, fotografias, livros e pela memória dos integrantes.

Com 53 clubes sociais negros, o Rio Grande do Sul possui a maioria destas entidades que resistiram a dificuldades financeiras, e muitas vezes, a falta de apoio e reconhecimento do poder público. A Sociedade Floresta Aurora, de Porto Alegre-RS, com 137 anos de existência, foi o primeiro clube social negro criado antes mesmo da abolição da escravatura. A delegação gaúcha conta com aproximadamente 40 representantes.

Ao final do Encontro será aprovada a Carta de Sabará, que norteará as ações do movimento clubista para os próximos anos, assim como será empossada a nova Comissão Nacional de Clubes Negros.

Confira a programação do evento:

Programação II Encontro dos Clubes Negros
29/1 (sexta-feira)
19h – Cerimônia de abertura
- Hino Nacional (Orquestra de Violão da Casa Azul – Maestro Ênio Barreto)
- Pronunciamentos Oficiais
Ministro Edson Santos (SEPPIR)
Secretário Agostinho Patrus (SEDESE/MG)
Prefeito William Borges (Prefeitura Municipal de Sabará - PMS)
Prefeito César Schirmer (Santa Maria/RS)
Presidente Zulu Araújo (Fundação Cultural Palmares)
Presidente Maria de Lourdes Santos Ida (Clube Mundo Velho/MG)
- Homenagem ao poeta Oliveira Silveira (ex-articulador da Comissão Nacional dos Clubes Sociais Negros)
- Performance poética: Conceição Evaristo (escritora)
21h - Apresentação: “II Encontro Nacional de Clubes Sociais Negros: objetivos e perspectivas”
Professor Amauri Mendes Pereira (UEZO-RJ) e secretária municipal de Desenvolvimento Social Kelly Cardozo (SEMDES/Sabará)
- Encerramento

30/1 (sábado)
9h - Conferência
“Os Clubes Negros na trajetória do movimento social negro”
Professor Amauri Mendes Pereira (UEZO-RJ)
Coordenação: Kelly Cristina Ferreira (Clube 28 de Setembro/SP)
10h30 - Mesa-redonda “O Planejamento Estratégico no cotidiano dos Clubes Negros”
Subsecretário de Ações Afirmativas da SEPPIR Martvs das Chagas
Cleves Alves Machado (SEDESE/MG)
Coordenação: Maria de Lourdes Santos Ida (Clube Mundo Velho/MG)
14h30 – Oficina de planejamento estratégico “Demandas e perspectivas para os Clubes Sociais Negros”
Coordenação: Professora Íris Amâncio (UFF)
16h30 – Palestra “Clubes negros – tradição cultural, gênero e raça”
Professora Josefina da Silva (UFC)
Coordenação: Kelly Cardozo (SEMDES/Sabará)
18h30 – Apresentação cultural “Mineiríssima Clara” – Wagner Calixto e Banda
31/1 (domingo)
9h30 – Palestra
“A organização jurídica dos clubes negros: associação, federação ou confederação”
Reinaldo Silva Pimentel (SEDESE/MG)
Coordenação: Luiz Alberto Silva (Clube Floresta Aurora)
Debate
10h30 – Votação de proposta e cerimônia de posse da Comissão Nacional de Clubes Sociais Negros
Coordenação: Renata Melo (assessora técnica da SEPPIR/PR)

Crédito fotos: Lisandro Paim

1868 - comissão nacional com ministro

PICT1868

1890 - abertura do evento

PICT1890

1897 – público

 PICT1897

1903 - discurso do ministro SeppirPICT1903

1905 - prefeito de Sabará – MG

PICT1905

1921 - fachada do Clube Mundo Velho-MG

PICT1921

Por Lisandro Paim - jornalista
Presidente da Associação Cultural e Beneficente Seis de Maio - Gravataí/RS
Coordenador Região Metropolitana Movimento Clubista/RS

Um comentário:

Moraes disse...

Isto é,racismo!Se alguém criar uma entidade com estas características,certamente vai pagar na justiça.O Senhor Deus fez o homem e a mulher,Deus não nos distingue pela cor da pele,mas nos dá a condição de Filhos,quando recebemos Jesus Cristo,como o nosso ÚNICO SALVADOR.Pois bem,quero ver se alguém da chamada cor "branca",teria a soberana coragem de criar,o Clube Social dos Brancos do Brasil,se isto acontecer,será pedido a sua cabeça imediatamente!Gente,páre com estas organizações,isto é,um afronto! SOMOS TODOS IRMÃOS!